INFORMATIVO

OBEDIÊNCIA E COMUNHÃO

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele” (João 14:21).

 

Indiscutivelmente, a obediência é uma das principais marcas do caráter do verdadeiro cristão e está na base dos seus relacionamentos com Deus e com os outros (vertical e horizontal).

A carta de Tiago, com os seus 5 Capítulos e 108 versículos, apresenta-nos 54 mandamentos e todos eles estão relacionados com uma vida cristã marcada pela obediência. A grande preocupação de Tiago é com a “vida cristã” e, segundo ele, o maior problema para a vida cristã é a “inconstância”, ou seja, a condição em que o homem se divide entre a lealdade a Deus e as propostas enganosas do mundo (Diabo).

Na visão de Tiago, a vida cristã tem relação direta com o caráter cristão bem formado e, a obediência é uma das suas marcas principais. Para ele, o caráter tem relação com o “homem interior”, é o que somos por dentro, principalmente, quando não tem ninguém por perto e, isto tem relação direta com a obediência a Deus.

Por meio de Moisés, Deus fez questão de repetir as seguintes instruções: “Agora, pois, ó Israel, que é que o SENHOR requer de ti? Não é que temas o SENHOR, teu Deus, e andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma 13 para guardares os mandamentos do SENHOR e os seus estatutos que hoje te ordeno, para o teu bem?” E, ratifica: “Vê que proponho, hoje, a vida e o bem, a morte e o mal; 16 se guardares o mandamento que hoje te ordeno, que ames o SENHOR, teu Deus, andes nos seus caminhos, e guardes os seus mandamentos, e os seus estatutos, e os seus juízos, então, viverás e te multiplicarás, e o SENHOR, teu Deus, te abençoará na terra à qual passas para possuí-la. 17 Porém, se o teu coração se desviar, e não quiseres dar ouvidos, e fores seduzido, e te inclinares a outros deuses, e os servires,18 então, hoje, te declaro que, certamente, perecerás; não permanecerás longo tempo na terra à qual vais, passando o Jordão, para a possuíres.19 Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, 20 amando o SENHOR, teu Deus, dando ouvidos à sua voz e apegando-te a ele; pois disto depende a tua vida e a tua longevidade; para que habites na terra que o SENHOR, sob juramento, prometeu dar a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó” (Deuteronômio 10:12-13; 30:15-20).

Portanto, sem dúvidas, a obediência é uma das principais marcas do caráter do verdadeiro cristão e está na base dos seus relacionamentos e, é condição indispensável para o seu reconhecimento como filho de Deus, integrante do “Pacto”. Ninguém poderá ser considerado “santo” (povo do pacto, povo separado) sem ser obediente.

A santidade começa na mente e se expressa nas ações e isto será impossível se não houver uma atitude de diligente obediência em todas as áreas da vida. Na essência, a obediência tem relação com retidão e prática, aliás, a essência do pecado consiste na desobediência do homem à vontade de Deus, expressa nas Escrituras Sagradas. Segundo o Breve Catecismo, “pecado é qualquer falta de conformidade com a lei de Deus, ou qualquer transgressão desta lei”. A desobediência gera o pecado e leva à morte; a obediência gera a justiça e leva à vida eterna (Rm 5:19; Hb 5:8).

A “comunhão dos santos”, depende da relação obediente destes para com Deus. A relação pactual exigia do povo “separado”, basicamente, três atitudes de obediência total, exclusiva e incondcional à Deus, a saber: Ouvir somente a Ele; Curvar-se somente diante d’Ele; Depender exclusivamente d’Ele.

Em obediência, experimentaremos, dentre outros os seguintes benefícios (bênçãos): a verdadeira alegria e felicidade, a proteção e paz de que tanto necessitamos e, a prosperidade real, que tem valor na essência (Salmos 81:1-3, 14-15, 16; Filipenses 4:19). “A obediência é o brilhante na coroa de um caráter verdadeiramente cristão” e, o tempero indispensável em seus relacionamentos, com Deus e com os outros.

Disse Jesus: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada” (João 14:23). É no amor que a vida cristã acontece e esse acontecimento chama-se “comunhão”, vida partilhada entre Deus e seres humanos. E este amor nos envia uns aos outros, pois a obediência a Deus nos levará ao amor ao próximo. A obediência gera no verdadeiro cristão um profundo senso de pertencimento, levando-o a crer que, de fato, está seguro “nas mãos de Deus”. “É o céu vindo a nós e nos habitando, antes de podemos nele habitar”. É assim a fé cristã: amor que leva à obediência e fortalece a comunhão entre Deus e pessoas e de pessoas entre si. Faça o seu melhor da comunhão!

Rev. Marcos Antonio Serjo da Costa

Pastor Sênior da IP Cuiabá


Titulo fixo

IGREJA PRESBITERIANA DE CUIABÁ

TEMPLO DA TREZE
Rua Treze de Junho, 148
Centro Cuiabá  | 78005-250

NOVO TEMPLO
Av. Hist. Rubens de Mendonça, 6015
Morada da Serra I Cuiabá  | 78055-000

CONTATO

Fone:  65 3624.4917 
E-mail: secretaria@ipcuiaba.org.br

REDES SOCIAIS

Siga a Igreja Presbiteriana de Cuiabá nas redes sociais.

Copyright © 2015 - Igreja Presbiteriana de Cuiabá - Todos os direitos reservados. Desenvolvimento e-design / crausdesign

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo